• Marcos Carvalho

O que é a demonstração do fluxo de caixa?

Atualizado: Jul 8



A demonstração do fluxo de caixa é uma das três principais demonstrações financeiras. Ela registra o caixa gerado e gasto durante um período específico (por exemplo, um mês, trimestre ou ano). O fluxo de caixa atua como uma ponte entre a demonstração do resultado (DRE) e o balanço patrimonial, mostrando como o dinheiro entra e sai do caixa da empresa.




As três seções da demonstração do fluxo de caixa


Atividades operacionais: Representam as principais atividades que geram receita para o negócio, bem como as movimentações entre contas bancárias, recebimentos de clientes (ativos circulantes) e as obrigações com fornecedores e outras contas a pagar de curto prazo (passivos circulantes) e quaisquer outras atividades que não representam investimentos ou financiamentos feitos no negócio.


Atividades de investimento: Dizem respeito a movimentações de caixa provenientes da aquisição e alienação de imobilizados (ativos de longo prazo) e outros investimentos que não tem referência com a geração de caixa operacional da empresa.


Atividades de Financiamento: Compreendem quaisquer fluxos de caixa que resultem em alterações no tamanho e na composição do capital acionário contribuído ou dos empréstimos da entidade (ou seja, títulos, ações, dividendos).


Classificações de fluxo de caixa


1. Fluxo de Caixa Operacional


As atividades operacionais são as principais atividades geradoras de receita numa empresa. O fluxo de caixa das operações normalmente inclui os fluxos de caixa associados a vendas, compras e outras despesas, exceto o dinheiro necessário para produzir e vender os bens. Esse indicador é particularmente interessante para investidores, que tendem a preferir investir em empresas com um fluxo de caixa líquido das atividades operacionais positivo.


O diretor financeiro (CFO) da empresa pode escolher entre a apresentação direta e indireta do fluxo de caixa operacional:


Fluxo de Caixa Direto: O fluxo de caixa operacional é apresentado como uma lista de retirada de vendas, retirada de despesas de capital etc. Nessa modalidade de demonstração vemos claramente todos os pagamentos e recebimentos feitos pela companhia.


No entanto, a apresentação indireta do fluxo de caixa é mais comum, sendo a opção da grande maioria das empresas de capital aberto.


Apresentação indireta: O fluxo de caixa operacional é apresentado como uma reconciliação do lucro para o fluxo de caixa. Sua demonstração inicia com o lucro líquido que será somado ao valor da depreciação e da amortização:


Lucro

Depreciação

Amortização

Variações da Necessidade de Capital de Giro

Variações nas Provisões

Fluxo de Caixa Operacional Líquido


As despesas de depreciação reduzem o lucro, mas não afetam o fluxo de caixa (são despesas não monetárias). Da mesma forma, se o lucro no ponto de partida for maior que os juros e impostos na demonstração do resultado, os fluxos de caixa de juros e impostos precisarão ser deduzidos para que sejam tratados como um fluxo de caixa operacional.


É também importante observar que tudo aquilo que foi positivo ou negativo na DRE e não possui efeito caixa, será lançado como negativo (positivo) para ser somado ao lucro líquido, resultando no fluxo de caixa operacional.


Não há orientação específica sobre qual valor de lucro deve ser usado na reconciliação. Diferentes empresas usam lucro operacional, lucro antes de impostos, lucro após impostos ou lucro líquido. Claramente, o ponto de partida exato para a reconciliação determinará os ajustes exatos feitos para se chegar a um número de fluxo de caixa operacional.


2. Fluxo de Caixa de Investimento


O fluxo de caixa das atividades de investimento inclui a aquisição e a alienação de ativos não circulantes (imobilizados, intangíveis e etc...) e outros investimentos não incluídos nos equivalentes de caixa. O fluxo de caixa para investimentos normalmente inclui os fluxos de caixa associados à compra ou venda de imobilizado (imobilizado e equipamento), outros ativos não circulantes e outros ativos financeiros.


O dinheiro gasto na compra de imobilizado é chamado de despesa de capital (ou CAPEX).


Do ponto de vista do investidor, é interessante saber que a empresa está reinvestindo capital num volume suficiente para cobrir as despesas de depreciação. Caso ela não consiga, isso pode levar a entradas de caixa artificialmente elevadas no ano em questão, uma prática que pode não ser sustentável a longo prazo.


3. Fluxo de Caixa de Financiamento


Aqui são registradas atividades que resultam em mudanças no tamanho e na composição do capital social ou dos empréstimos e financiamentos de curto prazo da entidade.


O fluxo de caixa de financiamento normalmente inclui fluxos de caixa associados a empréstimos e reembolsos de empréstimos bancários e emissão e recompra de ações.


A quitação de um empréstimo bancário aparece como saída no Fluxo de Caixa, portanto, negativo, o mesmo vale para o pagamento de dividendos aos acionistas, que também é tratado como um fluxo de caixa financeiro.

Mas quando uma empresa capta dívida, os contadores devem lançar esse valor como um número positivo de entrada no caixa da empresa.

O fluxo de financiamento também compreende as movimentações referentes ao capital próprio.


Por exemplo, sempre que a companhia paga dividendos ou Juros Sobre Capital Próprio, uma saída de caixa é registrada aqui.


Últimas considerações


Antes de mostrarmos como é feita a preparação de um Fluxo de Caixa, é importante ressaltar que investidores experientes costumam ser inclinados a empresas que produzem um bom saldo de Fluxo de Caixa do Acionista (FCA). Isso pois essa demonstração indica a capacidade de pagamento de dívidas, dividendos e recompra de ações, além do potencial de crescimento do empreendimento diante do mercado.


O FCA é basicamente o dinheiro excedente produzido pela empresa, que pode ser retornado aos acionistas e investidores, sem interferir o fluxo corrente de operações e expansão do negócio.


O cenário preferido pelos investidores é quando a empresa retorna a eles o valor que foi investido sem depender de financiamento. Afinal, o pagamento de dividendos sem prejuízo na capacidade operacional e na expansão dos negócios é um forte indício de um empreendimento com bases financeiras sólidas.


Como preparar uma demonstração dos fluxos de caixa?


A seção operacional do fluxo de caixa pode ser apresentada pelo método direto ou pelo método indireto. Em qualquer um dos métodos, as seções de investimento e financiamento são idênticas, a única diferença está na seção operacional. O método direto mostra as principais classes de recebimentos brutos e pagamentos brutos. O método indireto, por outro lado, começa com o lucro líquido e ajusta o resultado pelos efeitos das transações. No final, o fluxo de caixa da seção operacional fornecerá o mesmo resultado, seja sob a abordagem direta ou indireta; no entanto, a apresentação será diferente.


No entanto, é relevante mencionar que o método direto de apresentação fornece informações mais úteis que o método indireto. No entanto, estima-se que mais de 90% das empresas utilizam o método indireto.


Método Direto x Método Indireto de Apresentação


No método direto, todas as instâncias individuais de caixa recebidas ou pagas são registradas e o total é o fluxo de caixa resultante.


No método indireto, os indicadores contábeis, como lucro líquido e depreciação, são utilizados na composição do fluxo de caixa. Na modelagem financeira, a demonstração do fluxo de caixa é sempre produzida pelo método indireto.


Abaixo está uma comparação entre o método direto e o método indireto:


O que a demonstração dos fluxos de caixa pode nos dizer?


O caixa das atividades operacionais pode ser comparado ao lucro líquido da empresa para determinar a qualidade dos ganhos. Se o caixa proveniente das atividades operacionais for superior ao lucro líquido, os ganhos são considerados de "alta qualidade".


Essa declaração é útil para os investidores porque, sob a noção de que o dinheiro é o rei, os investidores podem ter uma visão geral das entradas e saídas de caixa da empresa para que obtenham uma compreensão geral de seu desempenho.


Se uma empresa está financiando perdas de operações ou financiando investimentos através da captação de dinheiro (dívida ou patrimônio), rapidamente isso se tornará claro na demonstração dos fluxos de caixa.


A Demonstração do Fluxo de Caixa é fundamental para que o gestor financeiro identifique e administre a capacidade financeira da empresa, através de um bom planejamento para garantir que a organização sempre tenha dinheiro em caixa e realize uma alocação de recursos cada vez mais rentável e honre todos os seus compromissos financeiros.

20 visualizações
logoLeverpro.png
CADASTRE-SE E FIQUE ATUALIZADO!
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco